Verossímil

VerossímilAdélia Prado

Antigamente, em maio, eu virava anjo
A mãe me punha o vestido, as asas,
me encalcava a coroa na cabeça e encomendava: 

“Canta alto, espevita as palavras bem.”
Eu levantava vôo rua acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *