O som do nada

O som do nada Bequadros

Silenciei pra ouvir, só ouvir
o nada em mim
alguém cantando canção pra mim
e no silêncio agudo que se seguiu…

Silenciei pra ouvir, só ouvir
o nada ali, o nada em si
alguém cantando canção pra mim
e no silêncio agudo que se seguiu
algo soou tão grave me partiu

E partido, perfeito, pretexto do meu sujeito
pretendo lhe provocar
com a música mais pura
que proporciona a cura
e os nossos corações faz silenciar

Palavra          jardim
Língua          ela
Água            fonte
Amor           saudades
Imagem       sabor
Torpor         vocal
O sim          o senão

Compartir algo tão belo, que soe musical
ouvir todo o vazio, fruir o próprio existir
sentir, antes do pensar

Uma nona sintonia
Uma nova sinfonia
Uma ode, alegria!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *