O meu canto

O meu canto Bequadros

E bate uma saudade do meu canto
O meu canto!
Sinto que minha voz perde o encanto

Minha alma não quer ficar sem paixão
Peço compaixão por me sentir assim
Quando com paixão, sou leve
Sou forte, sou vivo
Perco limites, viro um livro

Aberto eu vim, alerta estou
E me enriqueço, e não me esqueço
Muita arte, muita história,
muita morte na memória
As diferenças que fascinam
O clima, as línguas, os olhos
As rimas

E vejo que preciso cantar
O meu cantar!
Tudo parece me encantar

Mas bate uma saudade do meu canto
Do meu canto!
Mas sei que minha voz se alimenta desse pranto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *