Músicas

 Viramundo Viramundo – letra: Fernando Sabino; adaptação: Bequadros

Virado mundo geral
Geraldo Viramundo

botou cigarro na boca de sapo para ele fumar até rebentar,
se escondeu na cesta de roupa suja
para ver a irmã mais velha tomar banho,
quis pegar a mais nova e depois teve remorso,
perdeu a virgindade numa cabrita

fugiu de casa e apanhou e por isso tornou a fugir
e por isso tornou a apanhar

contou quantas vezes fez coisa feia
pra se lembrar na confissão,
procurou não mastigar a hóstia para que não saísse sangue,
foi à missa aos domingos
foi coroinha na igreja,
comeu manga com leite e adoeceu

Virado mundo geral
Geraldo Viramundo

amarrou lata vazia em rabo de gato,
fez galinha dançar em cima de lata quente,
contou com o ovo no rabo da galinha,
enfiou o dedo dentro dela
enterrou ovo choco e fez fogo em cima
para ver se nascia pinto

fugiu de casa e apanhou
e por isso tornou a fugir
e por isso tornou a apanhar

furtou garrafa de guaraná e depois mijou dentro
ficou preso pela piroca no gargalo
ficou com pedra na maminha e perguntou à mãe o que era
sentiu dores nos culhões,
comeu a negra Adelaide e virou homem

Virado mundo geral
Geraldo Viramundo

 

Sonho de menino Sonho de menino Paulinho Pedra Azul

Quando era menino
Eu via a lua saindo
Pensava assim comigo
Um dia eu vou lá
De jeep ou caminhão
De barco ou de avião
Se eu não puder voar
Cresceu meu coração
Me trouxe outra emoção
E o sonho de menino
Voou… voou…

 

Verossímil Verossímil – Letra: Adélia Prado; Música: Bequadros

Antigamente, em maio, eu virava anjo
A mãe me punha o vestido, as asas,
me encalcava a coroa na cabeça e encomendava: 

“Canta alto, espevita as palavras bem.”
Eu levantava vôo rua acima.

 

Ocaso Ocaso Bequadros

Desprezo o modo como as pessoas vivem
Eu desprezo a moda
Desprezo o caso contado às pressas
Eu dispenso a caça

Desprezo a fama dos estúpidos
Eu desprezo a fome
Desprezo o amor por interesse
Eu dispenso Roma

Faça de meu descaso o teu acaso
e o ocaso fechará o dia

Faça do meu fraco o teu forte
Do meu triste o teu norte

Desfaço os mitos controladores
Eu desfiro o golpe
Desprezo toda e qualquer bandeira
Eu dispenso a pose

Desprezo os termos dos poderosos
Eu dispenso ternos
Desprezo as falsas saudações
Eu desprezo a farda

Faça de meu descaso o teu acaso
e o ocaso fechará o dia

Faça do meu fraco o teu forte
Do meu triste o teu norte

Prefiro o canto desencontrado
Eu almejo a fuga.
O contraponto encantoado.
Música é musa.

Prefiro o lento ao apressado,
trabalhar à toa
ou o sujeito à oração
tempo que perdoa

Faça de meu descaso o teu acaso
e o ocaso fechará o dia

Faça do meu fraco o teu forte
Do meu triste o teu norte

 

We won the war We won the war Bequadros

Alguém, alguma vez, já realmente venceu uma guerra?

 

O musical O musical Bequadros

Tentei cantar sem respirar
Tentei musicar outra canção
Valeu demais, mas não volto atrás
A vida me vem com outro bem
O violão

Caetano está a Djavanear
O canto me vem como um sorriso
E neste lugar eu vou trabalhar
O aplauso é o pão da profissão
E o meu refrão é:

E vou de verso em verso mas não sei rimar
E é tudo inverso que eu vou aprender
E vou de verso inverso mas não sei rimar
E é tudo em verso que eu vou aprender
E se você me acompanhar…
Eu levarei a vida a cantar!

Vou aproveitar e agitar
Sentar no chão é algo em vão
Eu tomo coragem para continuar
No meu refrão toco o violão
E cantam vocês

O meu silêncio é musical
O meu barulho é instrumental
Acorde e vem mostre o que não tem
vou transformar a lágrima nesta canção

E vou de verso em verso mas não sei rimar
E é tudo inverso que eu vou aprender
E vou de verso inverso mas não sei rimar
E é tudo em verso que eu vou aprender
E se você me acompanhar…
Eu levarei a vida a cantar!

E se você me acompanhar…
Eu levarei a vida a cantar!

 

Sugestão Sugestão Bequadros

Sugestão: desligar o seu coração
É ele quem te leva à loucura
Ser louco pode ser o caminho são
pra desvestir da culpa.

Conhecer não é o mesmo que saber
saber é o caminho para o clarão
é claro que depende de ti
para a transformação

lave-me
leve-me
live me
love me
lux me

ala-me! ela-me! ilha-me enquanto me olha.

face a farsa
força e disfarce
à fuça

louva-me!
lisa me
valha-me
vire-me
voca me
ENLOUAQUEÇA-ME

o fato de alguém discordar de mim,
não tira a minha razão

prazer nós teremos em compartir
cantar
dançar

 

A alma A alma Bequadros

Não mais eu tento ser  do jeito que nunca fui
Hoje me aceitei mesmo sem credo e sem cruz

Nunca se pode crescer mentindo,
nunca se pode sofrer sorrindo
Nada me fará esquecer do seu beijo de boa noite e tchau

Penso nos outros, aqueles outros normais
Que se mantem intocáveis, com suas vozes  fatais

Peça se quiser ganhar, a alma se pode curar
carinho não se pode comprar, só trocar e curtir

Nada mais me impede de viajar sem partir
Todos me rodeiam, perguntam como ser feliz
No sonho se pode voar, na vida eu sei me virar
Abrace se quiser amar e não minta pra si

Não mais eu tento ser  do jeito que nunca fui
Hoje me aceitei mesmo sem credo e sem cruz

Nunca se pode crescer mentindo,
nunca se pode sofrer sorrindo
Nada me fará esquecer do seu beijo de boa noite e tchau

 

ConhecEu ConhecEu Bequadros

Nasci nos 80 sem entender de obstetrícia
Cresci mais ou menos até a gosto,
depois cansei e fui sonhar
Acordo às oito e morro às dez,
religiosamente

Sou burro por parte de mãe e feio por parte de pai
Não falo cantonês, não sei cantar
Meu joelho não é dos melhores,
mas meus sonhos são outros

Era católico, hoje sou míope
Meu humor varia entre o marrom e o branco
Na segunda eu conspiro, terça não fecho o livro
Escrevo até bem, mas só coisas ruins

Pratico repousos esporadicamente
Não tenho remédio.
Questiono qualquer questão
Sei que sou sul
Vou do início ao fino!

 

Eu me vendo Eu me vendo Bequadros

Quando criança, deslumbrado e sorridente,
sonhador e inocente, só bastava eu chorar
e meus pais me pegavam no colo,
me mimavam, me ninavam, me faziam acreditar
que eu podia tudo, era só apontar,
que era maior do que o mundo,
e que deles eu não ia me separar.

Mas eu cresci, mas eu cresci

Jovem, rebelado e estridente,
desleixado, inconsequente, em tudo eu dava opinião
Os meus pais só me xingavam e gritavam:
“Eu só posso ter errado na criação”
Achava que o mundo eu poderia mudar
Nem por um segundo eu pensava que devia me adaptar

Mas eu cresci, mas eu cresci

Adulto, preocupado e exigente,
estressado e descontente, não tendo tempo pra gastar
só falava com meus pais por telefone, bem pouquinho, era longe e eu não podia me atrasar
tanta reunião que eu começava a pensar qu’eu era igual a todo mundo.

pra onde essa vida foi me levar ?

Eu me vendo com o tempo, eu me vendo
Eu me vendo me vendando, eu me vendo
Eu me vendo me vendendo, eu me vendo
Eu me vendo me olhando, eu me vendo


Verossímil Se eu tivesse a voz 
Bequadros

se eu tivesse a voz
para cantar mais do que dizer
o que por dentro grito
cantaria pelas ruas à noite
com um chapéu no chão
com a veia estufada
a cara corada beirando a rouquidão

se eu tivesse o poder da voz
eu cantaria pelos telhados
para abafar todo sinal que transite
e acordar qualquer sonho deitado
espiralando o senso de direito

se eu tivesse ao meu alcance a voz
estaria sempre on the road
usaria tons mais intensos
sons mais imensos
usaria poucos e bons silêncios.

se eu não tivesse só o desejo da voz
você seria vós
Atados seriamos  nós

 

O meu canto O meu canto Bequadros

E bate uma saudade do meu canto
O meu canto!
Sinto que minha voz perde o encanto

Minha alma não quer ficar sem paixão
Peço compaixão por me sentir assim
Quando com paixão, sou leve
Sou forte, sou vivo
Perco limites, viro um livro

Aberto eu vim, alerta estou
E me enriqueço, e não me esqueço
Muita arte, muita história,
muita morte na memória
As diferenças que fascinam
O clima, as línguas, os olhos
As rimas

E vejo que preciso cantar
O meu cantar!
Tudo parece me encantar

Mas bate uma saudade do meu canto
Do meu canto!
Mas sei que minha voz se alimenta desse pranto

Errata-Homem Errata-Homem letra: Anderson Ribeiro; Música: Bequadros

A gente nascemos
A gente observamos
A gente aprendemos
A gente imitamos

A gente crescemos
A gente sonhamos
A gente queremos
Mas a gente deixamos

A gente esquecemos
Que a gente pensamos
A gente morremos
A gente lembramos

Que a gente pensamos
que a gente pensamos

só então nós vivemos
só então nós vivemos

Antes
Errante
Procura
Distante

Aprende plantar
Cultiva mandar

Domina
Se perde
Se vende
Se mede

Entende
Recomeçar

Só então nós vivemos

 

P'a ti Pati P’a ti Pati Bequadros

Simples oração, singelo momento
numa só canção há todo o sentimento
para agradecer teu colo, teu amor e tempo

Quando a dor e o medo insistiram em agir
foi só o teu sorriso que me fez resistir
Ê vida leve! Leve sua exigência
Deixe o canto voar livre
desfrutar sua presença
Seu abraço, seu abrigo, sua voz na consciência

Faço essa oração de amor intenso
p’a ti Pati, grito esse refrão
que vem lá do fundo do meu peito
por teu carinho, teu amor perfeito
esse silêncio vão

Paz! Pais! Faz mais!

 

O som do nada O som do nada Bequadros

Silenciei pra ouvir, só ouvir
O nada em mim, o nada em mim
Alguém cantando canção pra mim
E no silêncio agudo que se seguiu

Silenciei pra ouvir, só ouvir
O nada em si, o nada ali
Alguém cantando canção pra mim
E no silêncio agudo que se seguiu
Algo soou tão grave me partiu

E partido, perfeito, pretexto do meu sujeito
Pretendo lhe provocar
Com a música mais pura
Que proporciona a cura
Quando os nossos corações faz silenciar

Palavra          jardim
Língua          ela
Água            fonte
Amor           saudades
Imagem       sabor
Torpor         vocal
O sim          o senão

Compartir algo tão belo que soe musical
Ouvir todo o vazio,
fruir o próprio existir
Sentir, antes do pensar

Uma nona sintonia
Uma nova sinfonia
Uma ode, alegria!!!

————————————————-

Verossímil - coral Verossímil – bônus track – versão coral
Adélia Prado

Downloads

11 thoughts on “Músicas

  • Estou ouvindo aos poucos… Degustando… Curtindo… Me deliciando com cada canção e letras.
    Já arrepiei muitas vezes (Errata Homem e Verossímil – as 2 versões) e chorei algumas (P’a Ti Pati é emocionante e Verossímil – versão coral me traz saudade e orgulho por ter participado).
    Continuo ouvindo…
    Tomara que ninguém me interrompa. kkk..

    • Olá Cristina!
      Que alegria ler sua mensagem! Mensagens como essas nos fazem ter certeza que valeu a pena toda a nossa dedicação! Pode ter certeza que o orgulho que você sente por ter participado é o mesmo que temos por termos contado com a participação de todos vocês do coral! 🙂
      Muitíssimo obrigado pelo carinho!

  • Tem um tempo que venho acompanhando o trabalho destes dois camaradas, mas só agora, ouvindo com carinho e atenção, vejo o qto ficou bom. A cada música que ouço, vejo a sensibilidade e seriedade com que fizeram acontecer. Parabéns pelo trabalho e o desejo que mais pessoas realmente tenham o privilégio de ouvir uma boa música.

    • Nosso padrinho Rogério. Somos muito gratos! Lembrando que você pode sempre se ouvir em O som do nada e saber que você e Patrícia (Madrinha) fizeram parte, literalmente, dessa criação.

  • Escuto Bequadros todo dia! Músicas que traduzem todo o sentimento, que infelizmente não tenho o dom para expressa-los. Vocês fazem isso com uma leveza, e por isso eu agradeço! Obrigada!
    O mundo não merece, mas carece e agradece! Sou super fã!
    Tento escolher a minha música favorita e tem sido uma tarefa muito difícil! Em cada momento que escuto, me trazem uma sensação diferente. Amo isso!
    Foi uma honra imensa poder participar de alguns momentos com vocês, por ter acompanhado um breve tempo da gestação desse maravilhoso CD ! Vocês são incríveis!
    Fica aqui a minha sincera parabenização e agradecimento. Beijos!!

    • A gente precisa se nutrir de bons sentimentos como os que você nos traz. É só assim que conseguimos acreditar em nós mesmos e traduzir em canções o que sentimos. É uma forma de amor. É uma forma de orar. É uma forma de agradecer. Viva!

  • Sou suspeita para falar destes dois garotos. Os dois são meus sobrinhos e afilhados… Me sinto muito orgulhosa de falar deles e de suas músicas. Meu CD, acho que já está furando… Gosto de todas, mas as minhas preferidas são: Verossímil, Sugestão, Eu me vendo, Sonho de Menino. Parabéns a eles por tão grande sensibilidade …. e pelas canções que nos embalam e nos fazem sonhar…

    • “Os sonhos não envelhecem”, já diziam. A gente está feliz e fica feliz por fazer mais gente feliz junto. Nos sonhos se pode voar…

  • Ronaldo: conforme prometi ao Arley no show de domingo em Contagem eis o meu comentário.
    Voces são o exemplo do talento de BH, mineiro e brasileiro. Alias já sabem disso, pela trajetória de cada um dos integrantes e as atividades individuais que fazem e ja fizeram. Sao a meu ver uma mistura de mpb, pop rock, jazz e clássico sinfônico.
    Seu cd pode se quiserem ser transformado no concerto com orquestra sinfônica mineira, nacional e internacional, bem como uma show em parceria com o mineiro Marcus Viana. Sugestão: incluir flauta ou sax no inicio da musica Alma; escrever uma musica em português com letra completa baseada no refrão da musica sobre guerra.

    • na verdade o bequadro indica retorno de uma nota anteriormente alterada por um bemol ou sustenido ao som original. O bequadro não faz muito sentido se não vier depois de um bemol ou sustenido. Inclusive a gente escolheu o nome bequadros por causa dessa ideia de “volta ao som original”. HáBraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *