Eu me vendo

Eu me vendo Eu me vendo Bequadros

Quando criança, deslumbrado e sorridente,
sonhador e inocente, só bastava eu chorar
e meus pais me pegavam no colo,
me mimavam, me ninavam, me faziam acreditar
que eu podia tudo, era só apontar,
que era maior que o mundo,
e que deles eu não ia me separar.

Mas eu cresci, mas eu cresci

Jovem, rebelado e estridente,
desleixado, inconseqüente, em tudo eu dava opinião
Os meus pais só me xingavam e gritavam:
“Eu só posso ter errado na criação”
Achava que o mundo eu poderia mudar
Nem por um segundo eu pensava que devia me adaptar

Mas eu cresci, mas eu cresci

Adulto, preocupado e exigente,
estressado e descontente, não tendo tempo pra gastar
só falava com meus pais por telefone, bem pouquinho, era longe e eu não podia me atrasar
tanta reunião que eu começava a pensar qu’eu era igual a todo mundo
p’ra onde essa vida foi me levar ?

Eu me vendo, com o tempo, eu me vendo
Eu me vendo me vendando, eu me vendo
Eu me vendo me vendendo, eu me vendo
Eu me vendo me olhando, eu me vendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *