Canções

 

Viramundo
Essa canção é uma parceria post-mortem nossa com Fernando Sabino. A letra foi construída através de recortes de páginas iniciais do livro ‘O Grande Mentecapto’. Por meio de vizinhos (muito obrigado ao Alexandre e à Kelly!), chegamos até Fabiana Vilas Boas (também muito obrigado!), que trabalhava junto com Bernardo Sabino, sujeito simples, muito simpático e filho do escritor, em um projeto de homenagem aos 90 anos do pai. Fabiana nos pôs em contato com Bernardo, que muito amigavelmente nos recebeu, ouviu a canção e nos autorizou a gravá-la. Chegamos inclusive a tocá-la em 2013 na Praça da Liberdade, em um dos eventos organizados por Fabiana e Bernardo para celebrar Fernando Sabino. Adoramos essa canção e ficamos muito honrados e felizes por termos sido tão bem acolhidos por Bernardo Sabino, que não impôs nenhum empecilho à sua gravação, tendo, muito pelo contrário, sido muito aberto a nos ouvir e nos incentivar a registrá-la em nosso primeiro disco.

Verossímil
Essa canção também é uma parceria nossa com um grande nome da literatura brasileira, Adélia Prado, poetisa maravilhosa, de palavras simples, mas muito fortes. Arley leu a poesia e se apaixonou, não demorando a musicá-la. Foram anos em busca de contato até que descobrimos que uma tia-avó nossa (tia Tutinha) era vizinha de Adélia em Divinópolis, e que as duas não só se conheciam como frequentavam a casa uma da outra. Com essa informação ficou muito mais fácil contactar Adélia. Tia Marta e Rogério (tio do Arley e pai do Gustavo) conseguiram o telefone da poetisa e conversaram diretamente com ela, que assim como Bernardo Sabino, foi muito amigável e receptiva, e nos autorizou a gravá-la.

Sonho de Menino
A história dessa canção começou em 1993. Na casa do Gustavo, há uma fita cassete de quando tinha apenas quatro anos cantando algumas músicas, dentre elas duas canções maravilhosas, Sonho de Menino e Jardim da Fantasia, de Paulinho Pedra Azul (inclusive foi inserido o trecho de Sonho de Menino na versão do disco!). Passadas duas décadas, fizemos nossa versão para a canção de Paulinho e fomos atrás dele para que a escutasse. Em um show realizado no Teatro Santo Agostinho, depois que Paulinho recebeu fãs e amigos, tirou fotos, deu autógrafos e tudo mais, Gustavo conseguiu alguns minutos de sua atenção e mostrou nossa versão. Sua voz e mãos tremiam de emoção e nervosismo… Foi incrível ver os olhos do cantor lacrimejarem. Foi uma experiência inesquecível! Paulinho gostou muito da versão e também nos autorizou a gravá-la, mas mais do que isso, a gravou conosco!!
Ah, na faixa do disco, a criança que canta logo no inicinho é o Gustavo de 22 anos atrás.

ConhecEu
Podemos dizer que a curiosidade por trás dessa canção não é tão alegre quanto as três anteriores. A letra dessa música tem um verso que diz “meu joelho não é dos melhores, mas meus sonhos são outros”. Pouco tempo depois do nascimento da canção, Arley rompeu o ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho. Alguns meses depois, Gustavo também teve o joelho lesionado, só que com uma entorse. Passados alguns meses, o Arley sofreu outra lesão no LCA (teve que operar pela segunda vez). Mais alguns meses Gustavo teve outra entorse. Tragicomédias dessa vida…

We won the war
O discurso utilizado na canção foi feito por Hitler em 1936. Nele, o futuro ditador conclama os jovens a votarem na reocupação da Renânia, perdida no acordo pós primeira guerra.

O Musical
Essa canção foi criada em 1999 para um festival que acontece anualmente em Contagem. Foi muito elogiada e recebeu o prêmio de segundo lugar.

Sugestão
O refrão é um poema que foi pensado para ser escrito/tatuado no corpo.

Errata Homem
A letra de Errata Homem é, na verdade, a junção das poesias “Homem” e “Errata” do poeta e músico Anderson Ribeiro (irmão do Arley e primo do Gustavo). As poesias estão contidas em seu livro Algozes.

O som do nada
O lindo dueto que acontece no meio da música foi cantado por Patrícia e Rogério, pais de Gustavo.

P’a ti Pati
Foi a última canção a entrar no álbum, quando ele já estava praticamente começando a ser mixado. Gustavo elaborou um tema instrumental no violão e enviou para que o Arley escutasse, opinasse e quem sabe criasse alguma letra. Passado algum tempo (um mês talvez), Gustavo e seu pai foram chamados pelo Arley para escutar melodia e letra que ele havia criado. Não demorou muito para que Gustavo desabasse a chorar. Arley havia composto a letra a partir de um fato simples, mas de enorme significado, que Rogério havia lhe contado: um abraço repleto de lágrimas que Gustavo e a mãe haviam dado pouco tempo após receberem a notícia da doença que ela começara a combater. A luta contra a doença ainda continua, felizmente com muitas vitórias!

 

2 thoughts on “Canções

  • O QUE DIZER?
    No tenho palavras para descrever a emoção.
    Somente agradecer a DEUS por proporcionar-me a alegria de ser tia de tanto talento.
    PARABÉNS AOS DOIS!
    Só posso dizer que torço pelo sucesso!
    Que ELE abra portas, porteiras e portões para que alcancem o almejado.
    Cada canção, cada foto enche o meu meu coração de alegria e os meus olhos de lágrimas!

    AMO VCS, GRANDE BEIJO !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *